Archive for Jogar

The Last Stand

O universo dos jogos é realmente surpreendente e quanto mais buscamos, mais verdadeiras pérolas encontramos, como é o caso, por exemplo, do jogo The Last Stand. The Last Stand é um jogo que apresenta uma dinâmica leve e que provavelmente o surpreenderá, caso goste de jogos de zumbis.

Vamos primeiramente analisar sua interface gráfica, composta de dois cenários possíveis, um aonde ocorre a ação do jogo em si e outro onde você pode melhorar suas armas, encontrar outros sobreviventes e reforçar suas defesas. Assim, podemos dizer que The Last Stand apresenta uma interface fácilde compreender, padrão nesse tipo de jogo (que, tenho minhas suspeitas, foi popularizada por esse jogo), além de disponibilizar recursos como a possibilidade de dar seguimento à história do jogo nas duas sequências do mesmo.

Basicamente, o jogo apresenta um único modo de jogo: todas as noites você deve proteger sua barricada contra o ataque de zumbis, e durante o dia você deve procurar armas e sobreviventes. Assim, se você preferir jogar como um louco e somente atirar, sem se preocupar com essa outra parte mais estratégica, provavelmente vai quebrar a cara.

Agora, pode-se considerar o próprio tempo durante o dia como sendo a “base econômica” do jogo, já que tudo o que você pretende conseguir (armas, sobreviventes e reparos) depende de quanto tempo você alocará para tais tarefas. Para equilibrar isso, então, o jogo limita bastante o tempo, conforme o jogo avança.

Jogando The Last Stand você terá, então, a oportunidade de não só eliminar quantos zumbis quiser, mas também de conhecer um pouco da história desse jogo que, se bem me lembro, compreende uma trilogia.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Live or Undead


Todo dia é dia para uma partidinha, principalmente se for de um jogo do tipo zombie game, não é mesmo? E se eu lhe disser que, falando em jogos de matar zumbis, eu estava jogando Live or Undead, parece coisa do destino, não é mesmo? Enfim, sem mais histórias, se você ainda não conhece Live or Undeath, sente-se confortavelmente em sua cadeira que agora vou lhe explicar um pouco desse jogo.

Quanto ao estilo do jogo, ele me lembra um pouco Days2Die, sendo que neste você não terá todo o enredo que há por trás de Days2Die, uma pena porque enriqueceria ainda mais o jogo. Seu papel no jogo, então, é sobreviver a hordas de zumbis que estarão invadindo o tempo todo o galpão abandonado onde você está. E para tal, você precisará de sua arma (que pode ser melhorada ou adquirida outra nova por meio de uma loja) e reflexos rápidos.

Em Live or Undead, você encontrará um cenário perfeito para saciar sua vontade de matar zumbis – entre e saia matando até suas mãos cansarem de tanto atirarem em zumbis. Já quanto aos controles do jogo, você usa as teclas WASD para mover-se, as teclas de 1 a 7 para escolher a arma, SHIFT para recuperar o life com um health pack e o mouse para escolher a direção para atirar (esquerda ou direita) e atirar, clicando no botão do mouse.

Se você é do tipo que gosta de jogos de tiro em Flash que sejam rápidos de jogar e que possam diverti-lo, por exemplo, na hora do almoço no trabalho, só faltou uma dedicatória nesse jogo em seu nome! Mas se você prefere jogos mais bem trabalhados e que envolvam elementos de estratégia, então esse jogo não irá surpreendê-lo muito. Live or Undeath é um excelente jogo para quem busca ação rápida e descomplicada em um único título.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

The Walking Stick

Aproveitando um pouco de tempo livre que tenho agora para atualizar outra vez o meu blog. Eu queria ter escrito este artigo antes, mas está uma loucura aqui em The Walking Stick, está tudo cheio de stick zumbis e não estou dando conta do recado sozinho! Posso resumir de forma bem simples o jogo como sendo um shooting game que apresenta uns poucos elementos de evolução do jogo (você pode melhorar a cerca ou muro e aumentar a capacidade de munição de sua arma), focando principalmente em uma única coisa – mate-os antes que alcancem a cerca!

Certo, agora vamos ao que interessa: tudo começa com você, uma arma, uma cerca e um monte de zumbis loucos para rompê-la e devorar todos os sobreviventes – semelhanças com The Walking Dead não são por acaso! A partir daí, o protagonista, isto é, você, um cara que nunca aparece a cara, mas tem a obrigação de eliminar todos os zumbis, precisa eliminar, um por um, os “coisas feias”. Então você deve melhorar sua arma e a proteção do acampamento sempre que for possível, caso contrário meu amigo, prepare-se para o fim.

E se você gosta de jogos com ambientes simples, sem muitas distrações, é uma excelente escolha, pois os gráficos do jogo são bem simples e facilitam ao máximo sua ação. Tudo foi feito em tons de preto e branco que trazem ao jogo um ar bem típico de stick games. Quanto às configurações de teclado e mouse, esqueça o teclado, você só vai precisar do mouse. E olha que procurei à beça algum atalho de teclado para recarregar a arma mais rápido!

Os pontos fortes do jogo são a ação constante e simples, que dá vontade de jogar inúmeras partidas de forma seguida. Agora, não espere dele algo como Time Crisis 4 ou outro dos jogos de shooter de consoles de última geração – it’s a flash game, man!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Go Repo

Go Repo é um jogo de ação onde você trabalha para a Repo Company, uma companhia que recolhe bens de pessoas que possuem dívidas com outras companhias. Qual o seu trabalho? Entrar na casa ou empresa dessas pessoas, recolher seus bens e colocá-los em uma van.

Parece simples, mas não é, afinal de contas, os proprietários não gostam nada nada disso! Além disso, os bens mais caros geralmente estão guardados atrás de portas trancadas a chaves e você precisará procurar por elas a fim de abri-las e conseguir pegá-las.

Mas não se preocupe que você não estará sozinho nisso, na verdade, você possui uma equipe de três agentes, cada um deles com suas habilidades próprias. Fred é o que pula mais alto, podendo assim alcançar áreas inalcançáveis para os outros, Stompy pode livrar-se de “pessoas indesejadas” mais facilmente e o MeatHead é o mais forte, podendo carregar itens como máquinas de lavar e carros!

Os controles são bem simples: WASD são as teclas que movem os personagens e N para segurar ou lançar os itens. Uma vez com um item em mãos, pode lançá-lo de qualquer distância para a van – claro, é necessário que esteja de frente para a mesma e que ninguém esteja no caminho, senão essa pessoa vai ter uma baita dor de cabeça!

Joguei algumas fases e o jogo é bem divertido, mas também o nível de dificuldade do mesmo sobe muito rápido, então é bom saber fazer tudo bem rápido e trocar o personagem selecionado tão rápido quanto precisar.

Enfim, Go Repo é uma ótima ideia de jogo para divertir-se numa tarde sozinho ou com seus filhos (joguei com o meu filho de 5 anos e tive que explicar a ele que eu não estava roubando a mobília e sim recolhendo pois aquelas pessoas estavam devendo muito! 🙂 ).

Abaixo, algumas imagens do jogo Go Repo:

go-repo-abertura go-repo-jogo

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Aquarocket

Aquarocket é um jogo de action-puzzle onde você controla um submarino por diversas fases e seu objetivo é coletar todas as estrelas em cada uma delas e retornar até o ponto de partida.

Para isso, você precisa ficar atento a dois parâmetros: sua barra de combustível, que vai diminuindo conforme você usa a aceleração do submarino e se acabar você não terá mais como retornar ao ponto de partida; e a barra de life, que vai diminuindo conforme você colide o submarino com as paredes labirínticas de cada fase e se acabar o submarino explode e você precisa repetir toda aquela fase.

Os tradicionais comandos para pausar ou reiniciar um nível estão presentes, mas não há uma tela mostrando seu progresso dentre todos os níveis bem como uma linha de narrativa (story plot) explicando o que você está fazendo ali, porque está coletando estrelas etc.

Enfim, um bom puzzle para passar seu tempo – é bem divertido! – mas com certeza não entrará na lista dos jogos que serão jogados de novo e de novo e de novo por mim!

Abaixo, algumas telas do jogo Aquarocket bem como o link para acessar o mesmo e jogar:

aquarocket-1 aquarocket-2

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Tiny Explorers

Tiny Explorers é um action puzzle com um objetivo bem simples: o jogador precisa levar os pequenos robôs exploradores até o ponto de destino na tela. Cada cenário, então, possui seu próprio layout e obstáculos, o que garante a diversão, já que o jogador se põe no papel de um “estrategista”, decidindo em que locais do mapa colocar setas para indicar a direção correta para os robôs.

Nesse jogo, dois são os recursos limitantes: os robôs (armadilhas e inimigos podem destruir seus robôs) e o tempo (você possui um intervalo de tempo no qual precisa levar um determinado número de robôs até o ponto de destino). Assim, você precisará jogar bem rápido para não deixar que seus robôs explodam nas tais armadilhas ou nos inimigos (já na fase 5, você precisará por um grupo de tartarugas de metal – ali a “coisa já começa a pegar”!).

A ideia do jogo é bem simples, porém pode ser bem viciante, se você gosta de puzzles que fogem do padrão (isto é, jogos de Tetris, Match-3 etc.). Além disso, o jogo conta com elementos presentes na maior parte dos action puzzles produzidos atualmente, como: contador de estrelas para cada fase, a fim de determinar quão bom foi o seu progresso; possibilidade de jogar várias vezes o mesmo nível, não havendo um game over; sistema de submissão de score e ranking, assim você pode ver se se saiu melhor que outros jogadores. 🙂

Não, esse jogo não é tão viciante quanto Candy Crush, mas com certeza lhe oferecerá algum tempo de boa diversão! Abaixo, duas telas do jogo:

tiny-explorers-abertura tiny-explorers-jogo

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Save My Garden

Se você está procurando um bom tower defense game para ter alguns bons momentos de diversão neste fim de semana, aproveite para conhecer Save My Garden. Save My Garden é um jogo de estratégia no estilo tower defense onde você deve utilizar-se de “torres plantas” para defender uma horta de tomates contra o ataque de insetos dos mais diversos tipos.

A lógica do jogo é bem simples e segue alguns princípios cultivados por muitos dos “jogos de torre”: você começa com alguns poucos tipos de torres e alguns inimigos mais fracos para enfrentar e, a cada fase concluída, novas torres podem estar disponíveis e você precisará enfrentar inimigos mais fortes ou de tipos diferentes (podem ser “de solo” ou “de ar”) ou mesmo mais hordas de inimigos.

Algo interessante é que antes de começar cada fase, você verá uma tela mostrando quais serão os tipos de inimigos a enfrentar e tipos de torres disponíveis, assim você poderá preparar-se melhor para o que virá para frente: no início você pode achar que isso é somente ilustrativo, mas a partir da sexta ou sétima fase você precisará dessas informações para atuar melhor!

O único recurso disponível nesse jogo, de forma similar a quase todos os “tower defenses” é o dinheiro: elimine os inimigos para ganhar mais dinheiro e, com esse dinheiro, compre novas torres ou melhore as já existentes. A possibilidade de dar “upgrade” em torres é sempre uma boa ideia, pois aumenta o número de possibilidades para o jogador, tornando o jogo ainda mais estratégico, mas é melhor nem se empolgar muito, pois cada torre somente pode ser melhorada duas vezes. E só!

Outra coisa a se considerar a respeito dos upgrades é que os mesmos não aumentam o raio de alcance dos ataques, mas aumentam a frequência de ataques. É uma pena, pois jogos que permitem “escolha de evolução”, onde cada tipo de upgrade prioriza aperfeiçoamentos em um dado atributo”, são ainda mais desafiadores, mesmo assim esse jogo não deixa muito a desejar, pois a ação é “em tempo real”, então você está o tempo (quase) todo ocupado, protegendo o jardim (que na verdade é uma horta).

Agora, vamos falar das torres: “Red Bell” atira em um inimigo por vez, alcance médio; “Agrimony” atira em um inimigo por vez e pode congelá-lo, reduzindo sua velocidade; “Evil Tree Stump” ataca todos os inimigos de solo dentro de seu alcance de uma vez só, por meio de suas raízes; “Sundew” ataca inimigos de solo por meio de uma “meleca” que causa dano com efeito de área; “Poppy”, uma torre amarela e grande, cujos ataques afetam somente inimigos de ar; “Toadstool”, uma torre cogumelo que atira em um alvo só, mas em qualquer tipo de alvo; e “The Nutgun”, uma torre (que parece um tronco oco) que atira em um alvo só de qualquer tipo, porém com grande poder de dano. Essas são as opções de torres disponíveis ao longo do jogo – cada qual, claro, com suas características específicas.

Agora, vamos falar sobre os inimigos. Há vários tipos de inimigos, começando por alguns pequenos, como besouros e joaninhas, passando por abelhas e até lagartas. As formigas inimigas são, aparentemente, imunes aos efeitos de congelamento das torres azuis. Na verdade, elas podem ser congeladas, eu acho: joguei do início ao fim o mesmo e só vi uma única formiga ser congelada, e o resto nada! Já as minhocas são “do mal”: quando uma morre, nascem duas menores, e quando estas morrem, novamente nascem duas menores. Elas são lentas, mas são muito chatas por essa “multiplicação”.

Uma estratégia interessante é adicionar torres “Evil Tree Stumps” e torres “Agrimony” em todas as posições possíveis, depois efetuar upgrade nas torres (primeiro em uma “evil”, depois em uma “Agrimony”), assim é possível combater inimigos de solo e de ar mais facilmente. Agora, quando puder ter “poppy towers”, é interessante ter pelo menos uma para deter ataques aéreos, geralmente posicionadas na retaguarda, com as torres que congelam bem à frente, assim as “Poppy” abaterão os inimigos que escaparem do congelamento. E por falar em congelar, as torres “Agrimony” possuem vantagem sobre os inimigos de ar: os inimigos, após congelados, quando descongelam, morrem, porém você não ganha dinheiro por aqueles mortos dessa forma.

Bem, agora, após jogar o jogo por inteiro, é claro que identifiquei também alguns pontos fracos: Você não pode construir quantas torres quiser – há um local específico para colocar cada nova torre. O jogo na velocidade normal é um tanto quanto lento, mas você pode escolher três opções de velocidade, tornando-o assim mais rápido. O dinheiro que você economiza em uma fase não é utilizado na seguinte. Não há informações estatísticas/numéricas para comparar as vantagens de uma torre em relação à outra. As torres não estão tão bem balanceadas: torres “mais fracas” no level máximo são mais fortes que torres “mais fortes” também no level máximo! Apesar de serem desfavoráveis ao jogo, de forma alguma eliminam o fator diversão presente no mesmo!

Agora, aqui vão as “lições” que eu aprendi jogando Save My Garden:

  • 1. Minhocas podem acabar com seu jardim;
  • 2. Formigas não sentem frio;
  • 3. Abelhas são muito chatas;
  • 4. (Quase) tudo na vida é finito, até mesmo o número de fases desse jogo. Continue jogando e você chegará lá!

Resumo da ópera: é um jogo bem divertido e agradável de se jogar, ideal para qualquer idade e para ser jogado em qualquer horário do dia – e pode proporcionar horas e horas de diversão!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Kill those ponies

Está cansado de ver tantos desenhos de “pôneis bonitinhos” na televisão? Não aguenta mais nem ver um deles em sua frente sem ter vontade de atirar o controle remoto? Calma, nós temos a solução! Em vez de atirar o controle remoto, que tal atirar com pistolas e rifles? Hey, não estamos dizendo para você cometer crime algum, estamos falando de um jogo chamado Kill Those Ponies, um shooting game onde seu único objetivo é exterminar os malditos pôneis alegres e saltitantes!

Sim, eu sei, parece muito mal, mas lembre-se é somente um jogo e convenhamos: já atiramos em aliens, gigantes de pedra e tantos outros monstros no mundo dos jogos, o que custa eliminar também alguns pôneis coloridos em um jogo, não é mesmo? E o jogo é realmente viciante, pois quanto mais tempo você permanecer no jogo, mais difícil será continuar acertando eles sem ser acertado pelos “grítos dos críticos” (sim, aparecem fãs dos pôneis durante o jogo e você também precisa livrar-se deles – bem, acho que você já entendeu o que eu disse).

Sim, este jogo realmente não possui de jeito algum um perfil de jogo infantil ou educativo, mas com certeza é ótimo para desestressar e liberar aquela raiva toda acumulada após um dia de trabalho em um escritório (quem já sofreu a ira de um chefe nervoso por um atraso em um projeto sabe o quanto isso pode fazer bem). Então, esquecendo um pouco o lado crítico-ambientalista, o jogo é, sim, bem divertido e legal (e como já disse, viciante: acabei de passar mais uns cinco minutos jogando ele novamente e tenho que terminar esse artigo logo para voltar a jogá-lo mais uma vez).

As opções de armas são pistola, metralhadora, espingarda e granada. As granadas são bem raras e conseguem eliminar todos os inimigos da tela e a pistola possui munição infinita, mas, como você já deve imaginar, a metralhadora é que é realmente divertida: é “sentar o dedo” no gatilho e ver quantos conseguimos acertar.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS