The Last Stand – uma combinação de Resident Evil com Defender que deu certo!


O universo dos jogos é realmente surpreendente e quanto mais buscamos, mais verdadeiras pérolas encontramos, como é o caso, por exemplo, do jogo The Last Stand. The Last Stand é um jogo que apresenta uma dinâmica leve e que provavelmente o surpreenderá, caso goste de jogos de zumbis.
Vamos primeiramente analisar sua interface gráfica, composta de dois cenários possíveis, um aonde ocorre a ação do jogo em si e outro onde você pode melhorar suas armas, encontrar outros sobreviventes e reforçar suas defesas. Assim, podemos dizer que The Last Stand apresenta uma interface fácilde compreender, padrão nesse tipo de jogo (que, tenho minhas suspeitas, foi popularizada por esse jogo), além de disponibilizar recursos como a possibilidade de dar seguimento à história do jogo nas duas sequências do mesmo.
Basicamente, o jogo apresenta um único modo de jogo: todas as noites você deve proteger sua barricada contra o ataque de zumbis, e durante o dia você deve procurar armas e sobreviventes. Assim, se você preferir jogar como um louco e somente atirar, sem se preocupar com essa outra parte mais estratégica, provavelmente vai quebrar a cara.
Agora, pode-se considerar o próprio tempo durante o dia como sendo a “base econômica” do jogo, já que tudo o que você pretende conseguir (armas, sobreviventes e reparos) depende de quanto tempo você alocará para tais tarefas. Para equilibrar isso, então, o jogo limita bastante o tempo, conforme o jogo avança.
Jogando The Last Stand você terá, então, a oportunidade de não só eliminar quantos zumbis quiser, mas também de conhecer um pouco da história desse jogo que, se bem me lembro, compreende uma trilogia.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

D4: Dark Dreams Don’t Die – para XBox One e PC

Se você gosta de jogos no estilo adventure envolvendo mistério e assassinato e tem um XBox One ou um PC, então está com sorte, pois desde janeiro deste ano a Microsoft disponibiliza este jogo de forma gratuita para os usuários dessas duas plataformas de jogos.


Os desenvolvedores do jogo, a Access Games a SWERY, já alcançaram mais de 1,3 milhão de downloads na versão para XBox One. Os números para a versão PC não foram divulgados, mas também não devem ter deixado nada a desejar.



A depender da plataforma que você utiliza, poderá ter total controle do jogo via Kinect (no XBox One) ou mouse (no PC), além de opções de gráficos e conteúdo exclusivos para cada uma dessas plataformas. É sentar, jogar e tentar encontrar o assassino!


O jogo carrega muito mais rápido no PC do que no XBox One, mas claro, depende da configuração de seu computador, então se você tem um bom computador (um PC “parrudo” como chamávamos antigamente!) ou um XBox One, não perca mais tempo e entre nesse cenário de mistério quase policial!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Já conhece Live or Undeath?

Todo dia é dia para uma partidinha, principalmente se for de um jogo do tipo zombie game, não é mesmo? E se eu lhe disser que, falando em jogos de matar zumbis, eu estava jogando Live or Undeath, parece coisa do destino, não é mesmo? Enfim, sem mais histórias, se você ainda não conhece Live or Undeath, sente-se confortavelmente em sua cadeira que agora vou lhe explicar um pouco desse jogo.

Quanto ao estilo do jogo, ele me lembra um pouco Days2Die, sendo que neste você não terá todo o enredo que há por trás de Days2Die, uma pena porque enriqueceria ainda mais o jogo. Seu papel no jogo, então, é sobreviver a hordas de zumbis que estarão invadindo o tempo todo o galpão abandonado onde você está. E para tal, você precisará de sua arma (que pode ser melhorada ou adquirida outra nova por meio de uma loja) e reflexos rápidos.

Em Live or Undeath, você encontrará um cenário perfeito para saciar sua vontade de matar zumbis – entre e saia matando até suas mãos cansarem de tanto atirarem em zumbis. Já quanto aos controles do jogo, você usa as teclas WASD para mover-se, as teclas de 1 a 7 para escolher a arma, SHIFT para recuperar o life com um health pack e o mouse para escolher a direção para atirar (esquerda ou direita) e atirar, clicando no botão do mouse.

Se você é do tipo que gosta de jogos de tiro em Flash que sejam rápidos de jogar e que possam diverti-lo, por exemplo, na hora do almoço no trabalho, só faltou uma dedicatória nesse jogo em seu nome! Mas se você prefere jogos mais bem trabalhados e que envolvam elementos de estratégia, então esse jogo não irá surpreendê-lo muito.

Live or Undeath é um excelente jogo para quem busca ação rápida e descomplicada em um único título. Se quiser jogá-lo, o caminho mais fácil é simplesmente clicar aqui.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

The Walking Stick, o jogo que vai lhe fazer querer jogar “só mais uma partida”

Aproveitando um pouco de tempo livre que tenho agora para atualizar outra vez o meu blog. Eu queria ter escrito este artigo antes, mas está uma loucura aqui em The Walking Stick, está tudo cheio de stick zumbis e não estou dando conta do recado sozinho! Posso resumir de forma bem simples o jogo como sendo um shooting game que apresenta uns poucos elementos de evolução do jogo (você pode melhorar a cerca ou muro e aumentar a capacidade de munição de sua arma), focando principalmente em uma única coisa – mate-os antes que alcancem a cerca!

Certo, agora vamos ao que interessa: tudo começa com você, uma arma, uma cerca e um monte de zumbis loucos para rompê-la e devorar todos os sobreviventes – semelhanças com The Walking Dead não são por acaso! A partir daí, o protagonista, isto é, você, um cara que nunca aparece a cara, mas tem a obrigação de eliminar todos os zumbis, precisa eliminar, um por um, os “coisas feias”. Então você deve melhorar sua arma e a proteção do acampamento sempre que for possível, caso contrário meu amigo, prepare-se para o fim.

E se você gosta de jogos com ambientes simples, sem muitas distrações, é uma excelente escolha, pois os gráficos do jogo são bem simples e facilitam ao máximo sua ação. Tudo foi feito em tons de preto e branco que trazem ao jogo um ar bem típico de stick games. Quanto às configurações de teclado e mouse, esqueça o teclado, você só vai precisar do mouse. E olha que procurei à beça algum atalho de teclado para recarregar a arma mais rápido!

Os pontos fortes do jogo são a ação constante e simples, que dá vontade de jogar inúmeras partidas de forma seguida. Agora, não espere dele algo como Time Crisis 4 ou outro dos jogos de shooter de consoles de última geração – it’s a flash game, man!

Gostou? Está a fim de jogá-lo? Basta acessar The Walking Stick em Carmaziel Games e começar a jogar agora mesmo!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Silent Hills?


Pois é, parece que estou bem atrasado mesmo. Há muito parei de acompanhar os novos jogos para PC e consoles e dou de cara com o nono jogo da saga Silent Hill, curiosamente chamado somente de Silent Hills. Há inclusive um PT (playable teaser) que apresenta o que poderia ser o cenário inicial para o jogo, utilizando-se do mesmo motor gráfico que o jogo usará, já disponível, mas estou bem atrasado, pois parece que dia 29 de abril o mesmo não estará mais público. Tudo bem, nem tenho PS4 mesmo! 😀


Agora, olha só quem está no P.T.:


De cara, quando vi, pensei que fosse um jogo baseado em The Walking Dead, já que está na cara que aquele cara ali é Darryl (na verdade, o ator Norman Reedus), mas enfim, o jogo tem tudo para trazer mais uma perspectiva sombria ao grande quebra-cabeças que é a história de Silent Hill.


Entretanto a produção do jogo tem sofrido várias mudanças (por exemplo, Guillermo del Toro, diretor do jogo, já se pronunciou como não sendo mais o diretor do mesmo) que podem por em cheque a possibilidade de lançamento do mesmo em 2016, mas a nós, meros jogadores mortais, só nos restar esperar.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Já temos Tekken 7 – e ainda jogo SNES!

Estava dando uma olhada no site GameSpot a fim de começar a reorganizar-me nesse imenso mundo dos jogos – já faz um bom tempo que não presto atenção no que está acontecendo por aí – e fiquei bastante surpreso em saber que Tekken 7 está saindo do forno em terras japonesas. Mas enquanto isso, ainda estou preso a emuladores de SNES e PS! :-)


Enfim, a última vez que pus as mãos em um jogo da série foi Tekken 4 de PS2, se bem me lembro, e isso foi há muitos anos atrás. Mas confesso que isso se deve também ao fato de que os jogos que mais gosto da série são Tekken 3, Tekken Tag Tournament e Tekken 2, nessa ordem.


A Bandai Namco tem provido a net com alguns vídeos dos novos personagens de Tekken 7, mas ainda não anunciou quando o jogo estará disponível fora do Japão – e isso é muito ruim, para todos nós amantes de jogos de luta que apresentam o estilo de Tekken (que na verdade nasceu em Virtua Fighter, em minha opinião, mas deixemos isso para outra hora.


Ah, e quem quiser ler a matéria original sobre os novos lutadores para Tekken 7, pode clicar no link abaixo.


Clique aqui para ler o artigo original.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Turbinando seu dia: Mahee Defender

Aproveitando um pouco de tempo livre que tenho agora para atualizar outra vez o meu blog. Desta vez, vou trazer até vocês mais um jogo do gênero Tower Defense, sendo agora o jogo Mahee Defender. Esse jogo encontra-se disponível para web em nosso website Carmaziel Games e você pode jogá-lo hoje mesmo, se quiser, bastando clicar aqui.

A ideia por trás do jogo é simples: uma base militar está sob ataque e você deve coordenar a sua defesa, construindo torres nos arredores para isso. Quanto à aparência do jogo, posso dizer que é mais bem feito visualmente do que a média de jogos do tipo tower defense, mas já vi alguns bem mais trabalhados graficamente. Enfim, não deixa a desejar, mas não foi o mais bonito que já vi. Agora nesse jogo, você precisa ter muita atenção e escolher bem como e quando irá gastar seu dinheiro, pois é disso que você dependerá para durar o maior tempo possível na partida – e sim, você precisará saber a hora certa de gastar ou economizar, pois a cada turno que passa você ganhará X% em cima do que tiver economizado!

O cenário para a ação é de um vale próximo a uma base militar e você vai achar isso bem interessante, pois dá um clima bem interessante para a ação, que envolverá tanto inimigos terrestres quanto aéreos. Para jogar, você usará exclusivamente o mouse, clicando em botões e posições do terreno para colocar suas torres, bem como para dar upgrade nas mesmas.

O que mais me impressionou em Mahee Defender foi a dificuldade envolvida para chegar até a última horda de inimigos e vencê-la: uma decisão errada em sua estratégia e não haverá nova chance! Agora, mesmo sendo um jogo do tipo tower defense, você vai ver que você não irá usar todos os tipos de torres, partindo do mesmo princípio de muitos outros jogos do gênero, onde você escolhe dois tipos de torres bem legais e foca nas mesmas. Esse é um mal da maioria dos tower defenses, na verdade, que não conseguem levar o jogador a explorar todos os tipos de torres e upgrades.

Mahee Defender vai conseguir prendê-lo na cadeira por um bom tempo, principalmente se você gosta de tower defense. Se não gosta, não se preocupe que no próximo review terei outra opção de jogo para você.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Jogo da semana: Yet Another Zombie Defense

Esses dias foram uma loucura, mas agora estou aqui, pronto para falar mais um pouco com vocês. Como já sabem, há sempre tempo para “mais um jogo” e é sempre bom ver novos e velhos jogos, aí ontem decidi jogar um pouco de Yet Another Zombie Defense, um jogo que, para quem não conhece, pode ser baixado pelo Steam a um preço bem baixo (R$ 4,29, se bem me lembro) e pode ser jogado solo em modo cooperativo com outras pessoas online. Posso resumir de forma bem simples o jogo como sendo um tipo de “sobreviva o máximo que puder, por quantas noites puder, contra hordas infinitas de zumbis que, indubitavelmente, mais cedo ou mais tarde comerão seu cérebro”, que apresenta elementos de shooter, focando principalmente em “atire e corra”.

Certo, agora vamos ao que interessa: tudo começa com o jogador próximo a um poste, único ponto de luz em um cenário onde, à noite, zumbis e mais zumbis aparecerão. Daí, como já pode imaginar, você vai poder atirar “pra caramba”, comprar novas armas, montar barricadas, torres que atiram automaticamente etc. Então o jogador deve focar principalmente em conseguir dinheiro no início para então começar a montar meios para sobreviver noite após noite.

Para quem gosta de atenção aos detalhes, encontrará no jogo um ambiente um pouco escuro e vazio nos horários noturnos e mais tranquilo nos horários diurnos, quando deverá preparar suas defesas. E a navegação no mesmo se dá por meio das teclas WASD e do mouse, mas os botões podem ser configurados por meio de menu de opções.

Como ponto forte do jogo, posso destacar a simplicidade e arsenal, que apesar de não ser do outro mundo oferece bastante diversão, principalmente se considerando que o jogo custa somente R$ 4,29. Já como ponto negativo, considero que o mesmo poderia oferecer um pouco mais, algo como um modo história, por exemplo, ou apresentar alguma variedade de cenários, mas isso não o prejudica por completo.

Assim, em minha opinião, se você quer jogar algo simples de jogar, barato e que permita modo cooperativo com seus amigos, então Yet Another Zombie Defense é uma ótima opção, mas você sempre deveria tirar a conclusão por você mesmo!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Já jogou Killing Road?

Olá e sem muito papo, vamos logo ao que interessa: review de mais um jogo testado. Cada dia um novo jogo, e para cada jogo, um novo review, e a “bola da vez” é o jogo Killing Road. Killing Road é um jogo do tipo shoot’em up com muitos zumbis onde seu objetivo primordial é sobreviver à horda de zumbis eliminando cada um deles no seu caminho para a liberdade.

Já no início do jogo, você começa com dois personagens montados em uma moto – um homem, pilotando e atirando nos zumbis que vierem pela frente, e uma mulher, armada para acabar com qualquer zumbi que ataque pela retaguarda. Você então assume o controle da moto e desses dois sobreviventes. Então você deve dar upgrade em suas armas (e na moto) sempre que possível a fim de continuar sobrevivendo a todos os zumbis, pois se sua moto quebrar durante a jornada, já era, você perde. Claro, você pode sempre continuar de onde perdeu pela última vez, mas eu tenho certeza de que você não gosta e não vai querer perder nesse jogo, não é mesmo?

Os cenários do jogo são as grandes rodovias e uma garagem aonde você pode melhorar sua moto e o jogo todo pode ser jogado em menos de uma hora, se você for bom de mira. A fim de controlar os personagens, você deve usar as teclas WASD para mover a moto e o mouse para mirar e atirar nos zumbis.

Esse é um ótimo jogo para quem gosta de jogos de matar zumbis, como eu. Em contrapartida, se você prefere um jogo com um aprofundamento na história ou com mais opções de interatividade, este pode não ser uma boa escolha.

Quer um conselho? Ligue agora mesmo seu computador, inicie Killing Road e tire por si mesmo suas conclusões!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Rusty Robot – minha opinião

Prontos para mais um review de um jogo? Hoje eu estava com vontade de jogar Rusty Robot e não deu outra: liguei o computador, abri o jogo e comecei a me divertir. E se você gosta de jogo do tipo puzzle ou do tipo plataforma, com certeza vai se interessar em saber que esse jogo pode lhe dar uma ajudinha em saciar essa vontade.

O jogo começa com Rusty, um pequeno e cinzento robô enferrujado. Você então coordena esse robô quadradão com o intuito de capturar todas as bolinhas brilhantes presentes em cada sala (alguém aí lembrou de Pacman?). Assim, o seu objetivo no jogo é capturar bolinhas e mais bolinhas, não parece muito empolgante, mas conforme a dificuldade aumente, o desafio começa a ser mais interessante…

E se você gosta de jogos com ambientes um pouco cinzentos e escuros, essa é uma excelente escolha, pois em Rusty Robot você estará jogando, em cada nível, em uma diferente sala fechada, sem muitas opções, senão fugir dos outros robôs e esquivarem dos tiros. Quanto às configurações de teclado e mouse, você usa somente o teclado, pressionando as tradicionais teclas WASD.

Jogando ele, o que mais gostei foi da simplicidade em cada nível, que traz algum desafio sem nos deixar de cabelo em pé – ótimo quando estamos no intervalo de almoço no trabalho ou de bobeira na Internet e só queremos um jogo rápido. E como ponto a melhorar, gostaria de que houvesse mais do que simplesmente andar para um lado, para o outro e saltar. Sério, implementem um salto duplo, um “dash” ou algo do tipo e teremos algo ainda mais desafiador!

Enfim, podemos resumir dizendo que Rusty Robot é o tipo de jogo que pode garantir sua diversão naquele momento em que somente quer passar o tempo, mas se você procura algo mais violento ou que gere mais adrenalina, então ele com certeza não é “o lugar certo para se estar”!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS